Conferencia 4: «Sobre Olivença – De Dinis de Portugal a Filipe V de Bourbon. Interrogações a propósito da construção da Torre de menagem e do abandono da ponte de Nossa Senhora da Ajuda».

Joao S. de Sousa Campos

O reinado do rei Dinis foi invulgarmente longo para a época em que decorreu. Durante 46 anos de governação (1279 / 1325), aconteceu uma multitude de actos e de políticas que deram forma a Portugal, na sua identidade nacional e na afirmação internacional.
Olivença ocupa lugar determinado na unidade da concepção do Estado, cuja importância fica diminuída no momento em que se perde o atravessamento do Guadiana (1709), durante a Guerra de Sucessão de Espanha. É motivo de perplexidade a perene inactividade da Ponte da Ajuda, após a sua inutilização pelo exército espanhol, quase um século antes da Guerra das Laranjas.
No intervalo de tempo entre a fundação da cidade (1306) e a abertura dessa Ponte (1510), o acto construtivo mais notório em Olivença terá sido a erecção da Torre de Menagem (anos de 1480), talvez o edifício mais alto do reino naquele tempo. O estudo desenvolvido para a reconstituição da torre de menagem de Almeida (datando de 1296, D. Dinis) assenta num grau de semelhança admitido entre as duas torres. A pergunta que se coloca é sobre a utilidade da decisão de D. João II em erigir uma torre medieval com quase 40 metros de altura, cuja serventia militar sabia ser obsoleta.

Deja un comentario